top of page

As 7 Ferramentas da Qualidade



No mundo corporativo, a resolução dos problemas, sejam eles do dia a dia ou mais estratégicos, tem sido um grande desafio, na busca dos melhores resultados organizacionais.

O cenário econômico traz a necessidade de identificação das melhores práticas, com recursos cada vez mais otimizados.

A Gestão da Qualidade tem um papel fundamental neste objetivo, pois como área estratégica, e de entendimento do fluxo da empresa, poderá auxiliar não só na resolução dos problemas, mas na melhoria dos fluxos de processo, como por exemplo, a análise de procedimentos e práticas.

Para dar andamento a esta ideia, vamos conhecer um pouco mais as ferramentas da qualidade, que são utilizadas para definir, mensurar, analisar e propor soluções aos problemas identificados que interferem no desempenho dos processos organizacionais.

A identificação da melhor ferramenta, ou ainda, da ferramenta que mais se adequa a realidade e cultura de sua empresa é sem sombra de dúvidas um grande desafio, que requer uma análise mais detalhada de seu contexto.

Vamos conhecê-las?

1- Fluxograma: é um tipo de diagrama, e pode ser entendido como uma representação esquemática de um processo, muitas vezes feito através de gráficos que ilustram de forma descomplicada a transição de informações entre os elementos que o compõem, ou seja, é a sequência operacional do desenvolvimento de um processo, o qual caracteriza: o trabalho que está sendo realizado, o tempo necessário para sua realização, a distância percorrida pelos documentos, quem está realizando o trabalho e como ele flui entre os participantes deste processo.

2- Diagrama Ishikawa: Também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama Espinha de peixe, é um gráfico cuja finalidade é organizar o raciocínio em discussões de um problema prioritário, em processos diversos, especialmente na produção industrial. Originalmente proposto pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa em 1943 e aperfeiçoado nos anos seguintes.

3- Folhas de Verificação: é uma lista de itens pré-estabelecidos que serão marcados a partir do momento que forem realizados ou avaliados. É usada para a certificação de que os passos ou itens pré-estabelecidos foram cumpridos ou para avaliar em que nível eles estão.

4- Diagrama de Pareto: é um recurso gráfico utilizado para estabelecer uma ordenação nas causas de perdas que devem ser sanadas.

5- Histograma: tem como objetivo mostrar a distribuição de frequências de dados obtidos por medições, através de um gráfico de barras indicando o número de unidades em cada categoria.

6- Diagrama de Dispersão: mostra o que acontece com uma variável quando a outra muda. São representações de duas ou mais variáveis que são organizadasem um gráfico, uma em função da outra.

7- Controle Estatístico de Processo (CEP): usado para mostrar as tendências dos pontos de observação em um período de tempo. É um tipo de gráfico utilizado para o acompanhamento do processo, determinando a faixa de tolerância limitada pela linha superior (limite superior de controle) e uma linha inferior (limite inferior de controle) e uma linha média do processo (limite central), que foram estatisticamente determinadas.

O objetivo das ferramentas é levar as organizações aos melhores resultados.

Quer manter-se sempre atualizado?

Cadastre-se em nosso site e receba gratuitamente nossas atualizações.

www.qualisegconsult.com.br


363 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page